Enxaqueca

 

A enxaqueca é um dos principais tipos de cefaleia primária relacionada ao distúrbio do sono. São dores de cabeça graves, geralmente unilaterais, cujos sintomas são fotofobia, fonofobia, náuseas, vômitos, transtornos de humor e alterações sensoriais. Estão intimamente ligadas ao sono e podem ocorrer durante o sono noturno, após breve período de sono durante o dia ou após acordar.

Esses problemas ocorrem três vezes mais em pacientes portadores de enxaqueca. A crise de enxaqueca pode ser desencadeada pela falta de sono ou por dormir demais. No entanto, melhora ou desaparece após um período de sono reparador.

A principio, o sono é regulado pelo processo circadiano, que envolve um relógio interno de aproximadamente 24 horas, localizado no núcleo supraquiasmático do hipotálamo, tendo como função regular o tempo de sono e consolidar o ciclo sono-vigília.

Os transtornos do sono, como insônia, apneia, ronco, câimbras, sonambulismo, entre outros, trazem consigo diversas repercussões para o ser humano, ao provocarem perda da qualidade de vida, disfunções autônomica, diminuição do desempenho profissional ou acadêmico, aumento na incidência de transtornos psiquiátricos e diminuição da vigilância, com prejuízos na segurança pessoal e, consequentemente, um aumento no número de acidentes. As pessoas que dormem mal tendem a ter maior risco de morbidades, menor expectativa de vida e envelhecimento precoce.

Composto por propriedades terapêuticas relacionadas, principalmente, à redução da dor, à manutenção da saúde e ao processo de rejuvenescimento celular, os imãs ou magnétos são utilizados com essa finalidade há séculos, comprovando a presença de um campo magnético em seres humanos capaz de equilibrar as funções do organismo.

Com o passar do tempo, essa constatação evoluiu, a ponto de gerar métodos alternativos de tratamento apoiados no uso de imãs, assim como sua incorporação em produtos de alta tecnologia, a exemplo dos colchões terapêuticos.

Quando associados a outros elementos- a exemplo das unidades emissoras de raios infravermelhos longos- os imãs encontrados nesses produtos potencializam ainda mais seus benefícios na manutenção do processo do sono.

Sendo tanto a insônia quanto a enxaqueca os distúrbios que mais se intensificam nos últimos anos, provocando um comprometimento significativo na qualidade de vida da população em geral, torna-se fácil compreender os motivos que contribuem para que o poder terapêutico dos imas reconquiste sua importância, devid, especialmente, aos benefícios gerados na diminuição dos sintomas associados a esses transtornos. Assim como os resultados de pesquisas internacionais, estudos realizados no Brasil revelam como produtos, representados , na maioria das vezes, pelos colchões terapêuticos, podem auxiliar pessoas acometidas pelos distúrbios do sono, destacando a relevância da abordagem de um tema com potencial para discussão e novas descobertas de ações eficazes no tratamento dessas e outras doenças.

Anestésico para qualquer dor

Em 2009, László J. et al(12) examinaram camundongos em gaiolas expostos a campo  magnético estático (2 a 754 mT) ou em idênticas gaiolas para placebo. Os camundongos foram induzidos à dor, e avaliados após 10 a 30 minutos seguidos de exposição ao magnetismo. Efeitos antinociceptivos (analgésicos) induzidos pela exposição à magnetoterapia  puderam ser  identificados,   inclusive por algum tempo

prolongado após o fim da aplicação.

Segundo estes pesquisadores,  o duradouro efeito analgésico promovido pelo campo maqnético estático pode sugerir que esta terapia induz a uma síntese ou liberação de substâncias  endógenas que podem mediar tais efeitos de alívio de dor.

baixados (2).jpg