Dores

 

 

 

Se refere a uma condição que envolve a compressão da raiz do nervo espinhal lombar. Isso pode se manifestar como dor, dormência ou fraqueza nas nádegas e nas pernas.

Khoromi  S. et al(13) publicaram em 2007 um estudo sobre a eficácia dos campos magnéticos estáticos em aliviar a dor de pacientes com radiculopatia lombar crônica. Eles compararam os efeitos entre as aplicações de magnetos de 200 Gauss, 50 Gauss e período sem tratamento. A dor foi avaliada através do score de 0 a 10.

Num período de 5 semanas, positivos feitos para a aplicação de  magnetos de 200   Gauss,  maiores e mais duradouros em relação ao grupo controle, sugeriram que esta terapia pode ser considerada  em pacientes com dor lombar  e radicular crônica.

Uma crítica revisão de literatura foi realizada por Eccles NK(14) em 2005, com o   objetivo de estabelecer se existe evidência a favor ou contra a eficácia  do magnetismo  estático em promover analgesia. Uma revisão sistemática da literatura foi empreendida aos estudos que compararam  o uso de magnetos estáticos a apropriados  grupos  controles para o tratamento  da dor. A metodologia, qualidade e resultados dos estudos foram considerados.

Como resultado final das análises, o autor encontrou que 73,3% dos estudos de melhor qualidade demonstraram um positivo efeito dos magnetos estáticos em promover analgesia a uma ampla gama de diferentes  tipos de dor -  neuropática, inflamatória, musculoesquelética,  fibromiálgica, reumática e pós-operatória.

A conclusão desta revisão é de que o peso das evidências,  a partir de publicações  de ensaios controlados e bem conduzidos, sugerem que os campos magnéticos são capazes de induzir ao alívio de dor.

Anestésico para qualquer dor

Em 2009, László J. et al(12) examinaram camundongos em gaiolas expostos a campo  magnético estático (2 a 754 mT) ou em idênticas gaiolas para placebo. Os camundongos foram induzidos à dor, e avaliados após 10 a 30 minutos seguidos de exposição ao magnetismo. Efeitos antinociceptivos (analgésicos) induzidos pela exposição à magnetoterapia  puderam ser  identificados,   inclusive por algum tempo

prolongado após o fim da aplicação.

Segundo estes pesquisadores,  o duradouro efeito analgésico promovido pelo campo maqnético estático pode sugerir que esta terapia induz a uma síntese ou liberação de substâncias  endógenas que podem mediar tais efeitos de alívio de dor.

dor-cronica.jpg