Diabetes

 

Kawaura A, et al., 2010 examinaram o efeito da terapia de infravermelho longo em indivíduos acamados com diabetes mellitus do tipo 2.  Quatro pacientes acamados receberam tratamento local em suas pernas, com sessões de 15 minutos de infravermelho longo de 8 microns por período de duas semanas.  Vários marcadores de estresse oxidativos foram mensurados, exatamente antes e 2 semanas após o tratamento local ter sido iniciado.  Muitas mudanças específicas foram observadas nos marcadores avaliados, com os resultados sugerindo que um tratamento repetido de infravermelho longo pode proteger contra o estresse oxidativo, que geralmente está aumentado em pacientes diabéticos. (Kawaura A, et al. The effect of leg hyperthermia using far infrared rays in bedridden subjects with type 2 diabetes mellitus.  Acta Med Okayama. 2010Apr; 64(2):143-7).

baixados.jpg