Fibromialgia

 

Em 2001: Alfano AP et al. (9) investigaram  a aplicação de campos magnéticos estáticos no tratamento  da fibromialgia. O estudo envolveu o uso de almofadas com discos magnéticos de 750 Gauss, posicionadas sobre o colchão de 33 indivíduos. Também foram avaliados 15 indivíduos usando almofadas de idêntica aparência e textura, porem com magnetos falsos, além de 17 indivíduos que não utilizaram as almofadas,   e sim continuaram um tratamento convencional para a fibromialgia.

 

A duração do experimento foi de 6 meses, e os seguintes ltens foram  avaliados   através de questionário específico  para fibromialgia (FIQ): intensidade da dor, número de pontos de dor e condição funcional. Todos os grupos  apresentaram melhora da condição funcional e diminuição do número de pontos de dor, sem diferença  estatística significante entre os grupos. Porém, na avaliação  da intensidade da dor, a melhora foi significativamente maior no grupo que  utilizou  as almofadas magnéticas   em relação ao placebo e ao  controle.

Anestésico para qualquer dor

Em 2009, László J. et al(12) examinaram camundongos em gaiolas expostos a campo  magnético estático (2 a 754 mT) ou em idênticas gaiolas para placebo. Os camundongos foram induzidos à dor, e avaliados após 10 a 30 minutos seguidos de exposição ao magnetismo. Efeitos antinociceptivos (analgésicos) induzidos pela exposição à magnetoterapia  puderam ser  identificados,   inclusive por algum tempo

prolongado após o fim da aplicação.

Segundo estes pesquisadores,  o duradouro efeito analgésico promovido pelo campo maqnético estático pode sugerir que esta terapia induz a uma síntese ou liberação de substâncias  endógenas que podem mediar tais efeitos de alívio de dor.

images (1).jpg