Pós-Pólio

 

 

 

Um ensaio clínico duplo-cego  randomizado foi realizado por Vallbona C.  et al.(7) em 1997, com o objetivo de determinar se a dor crônica frequentemente apresentada  por pacientes com Síndrome Pós-Polio pode ser aliviada pela aplicação de campos magnéticos posicionados diretamente sobre determinados pontos de origem de dor.

Estes autores avaliaram 50 indivíduos com a síndrome, apresentando dores musculares ou articulares;  estes foram divididos aleatoriamente entre grupo experimental, que receberam a aplicação de magnetos de 300 a 500 Gauss diretamente sobre os pontos de dor por 45 minutos,  e grupo placebo, onde foram aplicados magnetos falsos de idêntico tamanho e  forma que os verdadeiros. Todos os indivíduos responderam a um questionário que provê uma avaliação subjetiva da experiência geral da dor, bem como avaliaram quantitativamente a dor através da Escala de 0 a 10.

Como resultado, nos indivíduos que  receberam a magnetoterapia foi verificada  uma redução da dor estatisticamente  significante, com media de 4,4  pontos na escala de 0 a 10, enquanto a media de redução da dor no grupo placebo foi de 1.1 pontos. A proporção de indivíduos que experimentaram significativa redução da dor foi de 76% no grupo experimental e de 19% no grupo placebo. Este estudo concluiu que a aplicação de campos magnéticos estáticos resultam num significante  alívio da dor em indivíduos com Síndrome Pós-Polio.

muleta.jpg